Pesquisar
Close this search box.

Outubro traz show do Trio Manari à 47a edição

O domingo, 1 de outubro, tem gostinho de maniçoba, miriti e muita diversão. O projeto abre o mês do Círio de Nazaré com programação criativa e musical.

A Praça do Carmo está imperdível com a 4ª edição do Circuitinho Circular, que traz como tema os brinquedos de miriti. A partir das 9h haverá uma intervenção lúdica que convida as crianças a montarem um painel afetivo de memórias sobre os brinquedos de miriti e depois participam de uma contação de histórias com a atriz Karla Pessoa, às 10h, e uma rodinha de conversa, às 11h.

Pela parte da tarde dois shows prometem muito. Às 17h, o grupo Ricardo Smith Quarteto entra em cena com repertório autoral, trazendo músicas com linguagem jazzística e influências da música clássica para ritmos brasileiros . E às 18h, o Trio Manari faz o show de encerramento da programação na praça. O show retoma as apresentações do grupo em Belém, paralisadas por conta do estado de saúde, hoje melhor, de Nazaco Gomes. “É o nosso pré-círio”, diz Kleber Benigno, que junto também a Márcio Jardim, forma o Trio Manari.  O show traz como convidados, simplesmente a Emufpa BigBand e o saxofonista Esdras de Sousa.

NOVIDADES

Vocês também precisam conhecer o Tribunal do Café, um projeto que chega com idealização da artista Berna Reale, para apoiar mulheres amazônidas egressas do sistema prisional , um projeto que promove a  chance de trabalho. Neste domingo, o espaço apresenta a exposição “Consagradas”, com mais de 100 imagens de Nossa Senhora de Nazaré que foram pintadas pelas egressas que participam do projeto CHANCE. Fica na TV. Joaquim Távora 440, na Cidade Velha.

Também é novidade a entrada oficial do Teatro Popular Nazareno Tourinho no circuito, trazendo duas exposições: Cena Aberta – Memórias da Cena Paraense, aberta desde setembro, e inaugura “Meu lugar Sagrado”, com vernissage agendado para 9h, reunindo obras de Jocatos, Petchó, And Santtos e Donnoelly.

A sede Náutica do Remo, na Tv. Siqueira Mendes, 252, retorna ao projeto com programação que inicia às 8h, trazendo aula experimental de remo. Ao meio dia serve uma feijoada e vai até às 17h, aberto ao público.

Entre os quase 40 espaços culturais envolvidos, há o Le Bistrô, situado de frente para o maior cartão postal da cidade, o Ver-o-Peso, na Trav. Marquês de Pombal, participa desta edição com sua gastronomia única e com o talento de Alba Mariah. A cantora enxerga e vive essa movimentação com entusiasmo.

“Tenho esperança de que as pessoas olhem para o centro histórico de Belém, como uma relíquia que a gente tem que ajudar a preservar, restaurar e proteger. Nessa edição estarei presente no Le Bistrô, conduzido pela minha irmã, Luna, com meu dom que é minha voz, dando apoio, acreditando neste projeto e empreendendo dentro da Cidade Velha e como sempre na esperança de que mais pessoas se toquem e entendam o orgulho que é ter um centro histórico desse porte, numa cidade situada no coração da Amazônia”, diz uma das maiores vozes do Pará.

GIRO RÁPIDO

Na Cidade Velha, no Mercado de Carne Francisco Bolonha, a Ong Arte Pela Vida tem trazido uma programação sempre diversa e informativa. Há mais de 30 educando e conscientizando e dando apoio às pessoas que vivem com HIV, inicia a programação deste domingo, 1, às 9h, com missa para receber a imagem de Nossa Senhora de Nazaré e segue com outras atrações, até às 18h.

No Reduto, o Studio Bohho também mergulha na magia do Círio de Nazaré e celebra a cultura vibrante do Pará, para lançar sua nova coleção de móveis “Depois da Maré”, confeccionados com madeira de restos de embarcação, trazendo a energia dos rios da Amazônia. E também convida a todes para se deixarem envolver pelo tributo à música popular paraense na voz de Natália Maia e Melina Fôro, além da cozinha comandada pela Tajá Cozinha e a cerveja gelada é da Cervejaria Uriboca.

Na Campina, tem Roteiro Geo Turístico que sai da Avenida Portugal em frente ao Museu do Bonde e segue pela Rua João Alfredo, Travessa Frutuoso Guimarães, Rua Campos Sales, Arquivo Público do Pará, Igreja Nossa Senhora dos Homens Preto, Fábrica Palmeira, Igreja de Santana, Rua Santo Antônio e Igreja de Santo Antônio.

Os participantes mergulham no centro comercial, observando uma variedade de serviços comerciais em meio a um patrimônio histórico à espera de reconhecimento. No dia a dia, durante a semana, é um território movimentado em ruas estreitas. Além de ser passagem da procissão religiosa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Para fazer a caminhada é recomendado ir com tênis, boné, protetor solar e roupas leves. O roteiro é a pé e não há entrada em prédios históricos.

10 ANOS DE CIRCULAÇÃO

São dez anos de Circular Campina Cidade Velha e até dezembro o projeto segue construindo sua jornada em 2023, mas agora com um CNPJ próprio, que proporcionará, a partir de 2024, novas conquistas em meio aos inúmeros desafios que é gestar um projeto reunindo mais de 50 espaços que empreendem no centro histórico de Belém, somando para preservar nossa memória e patrimônio histórico.

“É uma década de muito trabalho e ainda não estamos onde achamos que o projeto merece estar. Investimos em cultura e educação patrimonial e neste momento estamos nos conectando a outras iniciativas nacionais que também atuam em suas cidades. Isso nos fortalece para seguir, a partir da sociedade civil, em diálogo com o poder público e iniciativas privadas sensíveis a causa”, diz Adelaide Oliveira, atual coordenadora do projeto.

A coordenadora aponta que é necessário pensar o centro histórico para além da COP 30. “Estamos no dia a dia do centro histórico e queremos que tudo que venha a ser feito com os recursos investidos até 2025, sigam além e fiquem como melhorias e legado à cidade e às pessoas”, conclui.

Serviço

47ª Edição do Circular Campina Cidade Velha. Neste domingo, 1º de outubro, das 8h às 20h, nos bairros do centro histórico de Belém. A programação completa está aqui no site: projetocircular.org e no Instagram, @circularcampinacidadevelha. Patrocínio Banco da Amazônia, Governo Federal, apoio da Secult-Pa, Governo do Pará, e Fórum Landi, UFPA.

Design sem nome (1)

Outubro traz show do Trio Manari à 47a edição

8 meses atrás

3fbbcb_5ec4bdfc98d64ae4ae098471d462aadb~mv2

Da Tribu: sustentabilidade e ações coletivas

4 anos atrás

3fbbcb_5ea224258f2c430abd699b85a649d1bb~mv2

Circular chega ao final do ano com resultados

4 anos atrás

3fbbcb_a0a347cbc7674a5c8774870b2020d7f3~mv2

A fotografia cênica nos anos 80 e 90

3 anos atrás

3fbbcb_2e90585e5d124abf9af651231215bff9~mv2

Revista Circular chega a 7ª publicação digital

4 anos atrás

3fbbcb_55af654421fe45e59ce613a482e13c5d~mv2

Circular back in hybrid format

3 anos atrás

Assine nossa news e receba todas as novidades sobre o Projeto Circular