Pesquisar
Close this search box.

Circular de aniversário na 49ª edição deste domingo

O Circular Campina Cidade Velha realiza sua 49ª edição, neste domingo, 3 de dezembro, em clima de confraternização e de celebração, comemorando os 10 anos do projeto. A programação se estende das 8h às 20h, nos três bairros históricos de Belém – Cidade Velha, Campina e Reduto.

O Circular já vem comemorando uma década ao longo do ano, mas é nesta edição derradeira de 2023 que o ciclo se completa. E a programação é extensa. São mais de 40 empreendimentos, entre ações, projetos e espaços físicos de galerias, restaurantes e centros culturais, que abrem as portas. A 49ª edição conta com patrocínio do Banco da Amazônia, via Governo Federal, e apoio do Fórum Landi, UFPA e Secult-Pa.

Foi em dezembro de 2013, que seis gestores de espaços de arte situados na Campina e na Cidade Velha abriram as portas pela primeira vez de forma sincronizada. Até parece que foi ontem, quando de repente a notícia foi se espalhando e novos gestores aderindo ao projeto que hoje conta com quase 50 parceiros.

São espaços físicos, mas também projetos de circulação e ações pontuais, a cada edição, além empreendedores e artistas criativos, centenas deles, que mesmo não tendo um ponto fixo no centro histórico participam das programações, como convidados dos espaços que integram oficialmente o projeto. Ao longo dessa década, calcula-se que cerca de 500 mil pessoas tenham passado pelas edições e outras iniciativas realizadas pelo projeto.

Aos poucos o Circular se expandiu para além das edições que ocorrem de dois em dois meses, sendo cinco edições:  abril, junho, agosto, outubro e dezembro. Logo,  o projeto começou a acessar as políticas públicas e obter recursos via lei de incentivo fiscal. O primeiro patrocinador, que permanece com o projeto, foi o Banco da Amazônia que além disso passou a participar como um parceiro, abrindo seu espaço cultural nos domingos do circuito.

“Acreditamos no potencial transformador do Circular, que não apenas celebra seus 10 anos de existência, mas também se destaca por sua relevância única. Este projeto vai além de sua longevidade; ele ressoa com a essência de nossa missão, incentivando uma abordagem que valoriza e preserva o centro histórico de Belém. Acreditamos que a preservação do patrimônio cultural é fundamental para o enriquecimento da identidade regional e para a construção de um futuro mais promissor. O Banco da Amazônia reconhece o impacto positivo do Circular não apenas na revitalização do centro histórico, mas também na promoção de atividades culturais e artísticas, fortalecendo os laços comunitários e fomentando o crescimento econômico sustentável. Parabenizamos todos os envolvidos nesse projeto inspirador”, diz Ruth Helena, gerente da Central de Marketing e Comunicação – CEMAC.

E foi acessando as políticas públicas que o projeto lançou uma revista digital (9 edições) com informações sobre patrimônio, sustentabilidade e cidadania, temas que deram origem também a um fórum que já realizou (3 edições). Além da revista e do fórum, em algumas edições também foi possível realizar oficinas, gerando renda a artistas e produtores culturais; sobreviveu à pandemia em formato digital e lançou o livro Mapa do Afeto, que mergulha nas memórias da Cidade Velha e coletou histórias afetivas de moradores e trabalhadores do centro histórico. Ano passado criou o Circular Apresenta e, neste, o Circuitinho, um passeio de educação patrimonial para crianças.

RECONHECIMENTO

Uma década dedicada ao centro histórico que trouxe reconhecimento público ao projeto. Em novembro deste ano, o Circular recebeu a Comenda Eneida de Moraes em reconhecimento aos seus serviços em prol da educação e do patrimônio cultural. Também neste mês, a Câmara Municipal de Belém entregou ao projeto o Diploma e Medalha Mérito Cultural – Mestre Verequete, somando-se estes dois ao primeiro reconhecimento alcançado com o recebimento nacional do Prêmio Rodrigo Melo de Franco, concedido em 2018, pelo IPHAN.

“Estamos felizes com o reconhecimento e esperamos também que os anseios do projeto sejam alcançados. Há dez anos acompanhamos a situação dos bairros que ainda precisam de melhorias e essa valorização também possibilita a todos mais investimentos em seus espaços, contribuindo para um projeto conjunto entre o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil, de um turismo sustentável e empreendedor, com valorização da nossa cultura, do patrimônio e de quem vive e trabalha ali no dia a dia também”, diz Makiko Akao, idealizadora do projeto Circular e gestora da Kamara Kó Galeria.

LIA SOPHIA ENCERRA DOMINGO COM SHOW NA PRAÇA DO CARMO

O Circular Apresenta, uma das inovações do projeto este ano, também traz show de Lia Sophia, às 18h, na Praça do Carmo, na Cidade Velha. A cantora paraense, que reside em São Paulo, vai fazer um show especial apresentando seu repertório autoral, acompanhada pelos músicos Adelbert Carneiro, na direção musical e contrabaixo, Kleber Benigno (Paturi – Trio Manari), na percussão, Igor Capela, na guitarra, Bruno Nery, no trombone e Daniel Delatuche, no trompete.

“A Lia é uma assídua frequentadora do Circular Campina Cidade Velha, por isso quando o Banco da Amazônia nos propôs de trazê-la para esta última edição do ano e ainda por cima celebrando os dez anos do projeto, não tivemos dúvida. E o bacana é que já havia um tempo em que ela apenas circulava pelos espaços e agora será a atração de encerramento que faremos na Praça do Carmo, que temos ocupado com música ao vivo do Circular Apresenta”, diz Adelaide Oliveira, da equipe gestora e atual coordenadora geral do Circular.

Cantora, compositora e instrumentista, ganhadora do Play de Prata ano 2023, por mais de 15 milhões de streamings de áudio, vídeo e downloads de “Ai Menina” pela Associação Brasileira da Música Independente, e também do Prêmio Amazônia de Música como melhor intérprete na categoria raízes latino amazônicas, a artista fecha o ano com  trabalhos realizados e planeja o lançamento de seu primeiro curta documentário “As Mulheres do Carimbó”, em 2024. É deste repertório dançante que o show deste domingo, promete colocar todo mundo para dançar. Lia, que já circulou na edição extra realizada em novembro com o MICBR, expressa carinho e admiração pelo projeto Circular.

“É um projeto potente de ativação econômica e cultural do centro histórico de Belém. Há dez anos que este projeto incentiva a população a vir para esse centro histórico e se apropriar desse lugar, dessa história e desse patrimônio, e isso é fundamental para valorizar a memória, diminuir a violência urbana e isso qualquer um pode ver, então em 10 anos de existência, a gente percebe que o Circular fez mais pelos bairros da Campina e da Cidade Velha , do que nenhum governo fez, eu digo em termos duradouros, para valorização deste território. Viva o Circular”, disse a cantora.

BATE PAPO, CATÁLOGO, LIVRO, EXPOSIÇÃO E MUITO MAIS

A edição de aniversário traz, entre tantas outras opções, o lançamento do catálogo da exposição “Ygapó – Floresta Encantada de Águas”, da artista Andréa Brächer e curadoria de Letícia Lau, com bate papo, às 10h, no Espaço Cultural do Banco da Amazônia. A mostra reúne 14 fotografias, com matriz em cianotipia, realizadas pela artista Andréa Brächer da região do baixo Amazonas, em Alter do Chão, onde captou mais de mil imagens durante uma imersão fotográfica.

Em seguida, haverá música ao vivo do Circular Apresenta, no Calçadão da Presidente Vargas, em frente ao BASA, às 11h30, com Iara Mê e Banda, que apresenta o show “Playlist Marginal”. Aguarde um repertório dançante e pra cima, com já é característica da cantora, que estará acompanhada pelo músico Quiure Soares e músicos convidados.

Na Campina a Kamara Kó Galeria está de volta ao circuito. O público vai conferir o Coletivo de Dezembro com a exposição “Nada a temer, nada a conquistar” como encerramento do ano. O projeto tem a característica de uma pequena feira de arte, pensada para celebrar o encontro da produção de arte de artistas da Galeria e artistas convidados: Danielle Fonseca, Diego Azevedo, Felipe Ferreira, Ionaldo Rodrigues, Irene Almeida, Miguel Chikaoka, Keyla Sobral, Pedro Cunha e Waléria Américo.

Além da exposição, haverá uma sessão de autógrafos do primeiro livro de poesia da artista Keyla Sobral, o livro “Nunca falei tão sério” , que foi lançado pela Editora Urutau, de São Paulo, e contou com prefácio da escritora Márcia Huber.

NOVIDADES NESTA EDIÇÃO

Na Cidade Velha, destaca-se a participação do evento Transformações, do Médicos Sem Fronteiras (MSFBrasil), que realiza , às 11h, no Fórum Landi, a roda de conversa “Crise climática também é uma crise de saúde”, onde aborda-se de que as mudanças climáticas extremas influenciam e trazem consequências imediatas e duradouras sobre a saúde das pessoas através de diferentes perspectivas, como os processos de urbanização, a proteção de áreas e populações tradicionais e o olhar de profissionais de saúde sobre o tema.

Também segue uma novidade a participação da Casa Cuíra, onde o público vai poder conferir, às 18h30 e 20h, o espetáculo ‘O Que Não se Diz Apodrece em Nós’, uma livre adaptação do clássico de Nelson Rodrigues, reunindo o trabalho dos grupos de teatro Palha, Gruta e Cuíra. A Casa Cuíra é um casarão charmoso situado na Rua Dr. Malcher, 287 – Cidade Velha.

Já no Mercado do Porto do Sal, na Rua São Boaventura, tem programação diversa, a partir das 10h, com oficina de percussão sustentável, com o professor Kléber Benigno, seguindo com lanche colaborativo, às 11h30, roda de música com Mercado do Choro (12h), Rádio Estamira (14h30) e Pandeiro Livre (16h).

O destaque fica com a exposição “Projeto Mastarel: águas de dentro” com Elaine Arruda e Mestre João Aires. O projeto Mastarel, que ergue uma peça de arte pública e contemporânea, também revitalizou o Mercado do Porto do Sal, que ganhou um novo telhado e está pintado e limpo para receber o público. 

CIRCUITOS PARA ADULTOS E CRIANÇAS

 

 

Nesta edição o projeto apresenta o 6º Circuitinho, com um passeio pelo Ver-o-Peso, passando com as crianças pelos mercados do Peixe e da Carne, seguindo pela rua 15 de Novembro até chegar à Praça da Mercês, na Fotoativa, onde os pequenos e pequenas circulantes poderão participar de uma oficina de Pincel de Luz e Fotografia. A concentração será às 8h30, em frente ao terminal fluvial da Estação das Docas (galpão 1).

Outro passeio à pé oferecido nesta edição é o do Roteiro Geoturístico: “Percorrendo e Revelando Paisagens do Reduto”. O Bairro Industrial da Belém da Borracha”, com saída às 8h30, da frente do Prédio do Complexo Histórico Tiradentes (Rua  Gaspar Viana, n. 746 com Assis de Vasconcelos).

Serviço

49ª Edição do Circular Campina Cidade Velha – Edição de Aniversário – 10 Anos. Confira toda a programação no site www.projetocircular.org e nas redes sociais do projeto: www.instagram.com/circularcampinacidadevelha e www.facebook.com/ocircular/

Vila Prana, ocupa rua no Reduto Foto: Cláudio Ferreira

Circular movimenta o domingo no centro histórico

2 anos atrás

3fbbcb_17d321efe75a4b46bc97c444caae8c98~mv2

Política para cultura em meio à pandemia

4 anos atrás

contos mirabolantes-2024

Circulando Cinema traz sessões gratuitas ao ar livre

2 semanas atrás

3fbbcb_0f2e9e242345406db3fa200c8a3d0b63~mv2

Edição traz Pássaro Junino e Boi de Máscaras

4 anos atrás

3fbbcb_01cd7ff652be402081f695940a931e94~mv2

Circular realiza sua 39ª edição

2 anos atrás

4edded_469331647d3f4b8f8d62959ee8af1fe6~mv2

Circuitos culturais e patrimoniais na 43ª edição

2 anos atrás

Assine nossa news e receba todas as novidades sobre o Projeto Circular